Esse post vem levantar uma discussão sobre as divindades do candomblé, afinal Orixá, Vodun e Nkisi é a mesma coisa?

Na verdade são nomeclaturas difrentes e de povos difrentes mas que representam uma mesma divindade (na minha opnião), Quando falamos em Ogún/ Gú/ Nkosi estamos falando do senhor do metal e das estradas, o dono do ferro e das batalhas… Isso em qualquer nação! Seja Jeje, angola ou ketu.

Sei que há muitos rituais que se diferencia, saudações, oferendas, ebós, odús, rezas e preceitos, assim como as folhas; mas o mais importante ue sai da mesma energia é a força e sua representação na vida humana. Com essas reformas que hoje têm no candomblé, as casas de qualquer nação chamam sua divindades de Orixas, talvez pela força do Yorubá e a influência do ketu/nagô, mas independente disso ainda há casa que mantém firme a nomeclatura Nkisi e Vodún.

Creio que a explicação começa no Inicio do culto, onde uam mesma África dividida em povos, cultuavam suas mesmas divindades, igual, mas com dialétos diferentes o que fez unir dialéto, Itans e Cultos, assim trocando o nome das divindades Africanas, até que muito tempo depois, já aquí no Brasil, nações difrentes chegando e suas forças já denominadas.

Talvez não sejam a mesma energia, mas sim energias que se completam e unidas formam uma só força, afinal não há uma verdade e sim verdades que se completam!

Quem é filho de Oxalá, é filho de lembá e de Lissá! Talvez muitos não concordem, mas há muito mistério por trás dos Adès-alheios, O importante é levantar a bandeira da natureza e levantar também o nome da Umbanda e do Candomblé… Seguimentos que prezam a vida.