As kuras são incisões feitas como o símbolo de cada tribo, aqui no Brasil, com o ´simbolo de cada axé, tem o objetivo de fechamento do corpo, para isso são feitas as incisões (o que chamamos de abrir) e colocado lá os atins ( pós) de defesa para aquele yaô.
Em algumas casas des Keto , a Kura é tomada como infusão de ervas.
Porém na maioria das Casas de Candomblé, as Kuras de origem africana, são feitas como incisões ou talhos, e nesse talhos são colocados pequenos punhados de ATIM, que é feito  para que esse ATIM penetre no corpo e o guarneça de males exteriores anviados contra a pessoa.
Normalmente, as Kuras são feitas no peito, dos dois lados, nas costas, também dos dois lados e no braço . Além dessas, na feitura do Santo, abre-se o FARIM, que é uma Kura no centro do ORI, do Yawo, e na sola dos pés, fazendo ainda, alguns zeladores, uma kura na língua de seus Yawos, para que os mesmos não comam de comidas trabalhadas, e se comerem, para que essas comidas não lhe façam mal.
Algumas casas de candomblé já substituiram esse ritual e não fazem mais as Kuras, e outras casa ainda fazem mais em menos lugares (Cabeça e braços).