”Certo que os Orixás comem o que os homens comem, porém, recebem a seus pés, nos terreiros, comidas onde os modos de preparar, ao lado dos saberes: palavras de encantamentos (fó), rezas (àdúrà), evocações (oriki) e cantigas (orin) ligadas a estórias sagradas (itan), são elementos essenciais e vitais para a transmissão do axé

Vilson Caetano de Souza Junior

——————————————————————–

As Comidas Rituais entregues ao Orixá tem a finalidade de oferecer uma forma de energia específica à Divindade alí ofertada.

Ao preparar as comidas de santo, deve-se observar os tabus de cada um deles. Por exemplo, o azeite de dendê nunca deve ser oferecido a Oxalá, o mel é proibido a Oxóssi, o carneiro não pode sequer entrar em uma casa consagrada a Iansã etc.

Ìyá Baséé encarregada de preparar as comidas dos orixás, trabalha junto ao Axogún. Ela é a mãe que conhece todos os segredos da cozinha e que sabe que o principal ingrediente para uma boa comida de santo, capaz de alcançar as mais altas dádivas, é o amor.

O Primeiro Orixá a Comer é sempre Exú, ele é o guardião e a boca do mundo (Come de tudo).

As comigas de Cada Orixá:

Oxalá Oxalufan: Canjica branca sem nehum tempero, cozida apenas em água e depois retirado toda a água, Mugunzá e comidas brancas, servidaem em recipientes de louça branca.

Oxalá Oxaguian: Canjica Branca igual a de Oxalufan, Comidas brancas, Apeté (Sem dende), Mugunzá e Inhame Pilado.

Oxum: Omolocum (feijão fradinho cozido com cebola, camarões e azeite de oliva e decorado com ovos cozidos e descascados), Ipeté.

Oxóssi: Axoxo (Milho vermelho cozido e  enfeitado com mel e coco), Frutas, Feijão fradinho torrado.

Yemanjá: Prefere peixe de água salgada, regados ao azeite e assados, milho branco cozido e temperado com camarões, cebola e azeite doce, manjar com leite de coco e acaçá.

Obaluayè e Omolú: Pipoca (Estouradas sem óleo e enfeitados com fatias de coco), Aberem, Abadô.

Oxumaré: Batata Doce amassada e modelada em forma de cobra, farofa de mnilho com ovos camarãe e dendê, Abadô e Aberem.

Obá: Acarajé, Abalá, amalá e Lelê.

Yewá: Abalá, banana da terra frita inteira no dendê e servida com farofa de dendê, Lelê.

Nanã: Sarapatel, Mugunzá, aberém, muqueca, efó, abadô, feijão com coco e pirão com batata roxa.

Ossãe: Acaçá, feijão, milho vermelho cozido com amendoin torrado, farofa,  fumo de corda, canjiquinha, abacate cortado ao meio sem o caroço e regado com amendoim e açucar em calda enfeitado com fumo de corda e sete folhas de loro.

Iansã: Acarajé, Abalá, Amalá ou Caruru.

Ibejí: Frutas, Doces, Caruru.

Xangô: Amalá, Abalá, Ajebó.

Ogum: Feijoada, Inhame (Kará) assado, Axoxo.

Iroko: Buenguê (Cozinhar cangica branca e quando estiver amolecida adoçar com mel . Servir em tigela branca.), Efó, Ejá funfun, Jacicou.

Kitembo: Zoró, Quiabo picado batido com mel, farofa de mandioca torrada com mel e um pepino cortado em três, Bobó ( Corta-se o ainpim em pedaços e cozinha; depois amassa-o e escorre a água, junta os camarões secos descascados e moidos, coloca-se uma cebola seca picada e salsa com cebolinha, misture bem e deixe cozinhar no dende, o Purê é servido numa tijela branca com folhas de loro.

Exú: Padês a base de farinha de mandioca branca, combinada com azeite de dendê ou  mel de abelha, água, bebida alcoólica e acaçá vermelho  feito com farinha de milho amarelo e enrolado em folha de bananeira. em algumas ocasiões também são utilizados pimenta, cebola, bife e moedas nas oferendas a este Orixá.

Logún-Edé: Omolokún e Oxoxo.