Na Mitologia Bantu – Kaviungo ou Nsumbu – Senhor da terra. Do chão. É um Nkisi Nsi. Tem caminhos com antepassados e une-se a eles para encaminhá-los. É o senhor da ráfia, (palha-da-costa) e das enfermidades. Como está no mesmo nível mitológico de Obaluaiyê/Omolu os mais velhos viram sua representação mitológica.

Senhor da verdade e da terra, aquele que cuida da saúde, da vida e da morte.

Vestido de palha, mais uma característica que lhe assemelha a Omolú e Obaluayê.

Kaviungo é muito respeitado dentro da nação Bantu, pois além de sabio detem um grande poder.

É filho de ZUMBARANDÁ e LEMBARAGANGA. Irmão adotivo de MUKUMBE e ALUVAIÁ , e irmão carnal de TEMPO e RANGORO.

A varíola é a punição que êle aplica aos maus feitores. Quando morre uma pessoa, KAVIUNGO senta-se em cima do corpo , reivindicando seus direitos. Está relacionado a terra, os troncos das árvores e os ramos. Transporta o AXÉ preto, vermelho e branco, seu maior segredo é com os espíritos contidos na terra, que são seus irmãos e de quem êle é o maior símbolo. Assim como ZUMBARANDÁ, êle é o patrono dos KAURIS. Êle usa em suas vestimentas um capuz de palha da costa, chamado AXÓ YIKÓ, que lhe foi dado por seu irmão GONGORIRA , para lhe cobrir as chagas e, principalmente, seus olhos, pois contêm todo o brilho do sol e quem olhasse perderia a visão. O AXÓ YIKÓ é um material de grande significado, pois participa de todos os rituais ligados a morte. A presença de YIKÓ é indispensável, em todas as situações que se maneja com o sobre natural. O YIKÓ é a fibra da ráfia, obtida de palmas novas de YIGYOGÓRO, árvore sagrada, que produz a palha obtida dos talos do olho da palmeira, quando nova, antes delas abrirem-se e curvarem-se.

O fato de cobrir-se com YIKÓ e ornar-se com búzios e cabaças, mostra que estamos na presença de um Òrixá ligado, diretamente, com a morte, cujas faculdades destruidoras são de difícil contrôle.

Segundo as lendas, êle é irmão mais velho de KAMBARANGUANGE. KAMBARANGUANGE destronou um KAVIUNGO velho e assumiu seu lugar, por esta razão existe a guerra entre os dois Òrixás. Pessoas de KAVIUNGO não pegam no XÈRE nem participam da roda de KAMBARANGUANGE. No KUKUANAN não entra AMALÁ e na comida de KAMBARANGUANGE não entra DEBURUS.

KAVIUNGO usa missangas pretas e brancas ou pretas, vermelhas e brancas, dependendo da qualidade, amarelo, preto e marrom.

Sendo OMOLÚ o dono da terra, é êle quem nos dá todo o tipo de alimentos, inclusive, a êle pertence todos os grãos.

Os KISSICARANGOMBE tem que ter respeito pelos atabaques, pois KAVIUNGO é o dono dos couros. Este Inkice é o padrinho de todos os KISSICARONGOMBE. Quando vamos dar comida aos atabaques, damos comida a KAVIUNGO.

A KAVIUNGO pertence o porco, cabrito, frangos, galos carijós, frangos rajados, d’angola, tatu e cágado. Carneiro é sua grande KIZILA. Pega, também, patos pretos e brancos. Depois do ritual de rolar os bichos, tira-se a língua da d’angola, do pato e do porco. O cágado é colocado de barriga para cima, para KAMBARANGUANGE não chegar. As línguas não vão ao fogo.

Informações:

Dominio: Terra, Doenças e Vida e Morte.

Plantas de kaviungo

Agoniada, Alamanda, Alho, Baba de Boi, Babosa, Canela de Velho, Capixingui, Carobinha do Campo, Coentro, Coerana, Erva de Santa Maria, Erva Moura, Guararema, Hortelã Brava, Jenipapeiro, Jerivá, Mangue Vermelho, Maria Preta, Verdadeira, Mastruço, Musgo, Piteira imperial, Quebra Pedra  (Inga Nzunga), Rabujo, Samambaia, Sumaré do Mato, Urtiga Mamão, Urtiga Vermelha, Velame do campo, Velame verdadeiro.