Quem participa do Olubajé?

Todas as casa de candomblé que tenham um filho Iniciado para Obaluayê com menos de sete (7) anos deve-se fazer essa festa-ritual e também se o Zelador ou a Zeladora da casa for de Obaluayê.

Todos participam da festa no Ilé, incluindo a Assistência.

O Por Que Da Festa?

O Ritual de Olubajé ( Olu– Aquele que, Ba– Aceita, – Comer) é em reverência ao Orixá Obaluayê, pois um dia Xangô deu uma festa em seu castelo e convidou a todos os orixás, porém não convidou Obaluayê.

Xangô Não gostava da fisionomia de Obaluayê, pois aparentava ser pobre e doente, além de danças mal, mas na festa todos já percebiam a falta desse Orixá.

Mais tarde descobriram que o Rei da Terra não tinha sido convidado. Os convidados muito revoltados foram até a casa de Obaluayê pedir desculpas.

Obaluayê se recusava a perdoar àquela ofensa até que chegou a um acordo, daria uma vez por ano uma festa em todos os orixás seriam reverenciados e este ofereceria comida a todos com tanto que Xango comesse aos seus pés e ele nos pés de Xango, nascia assim a cerimônia do olubajé. Porém muitas outras vão em desencontro com essa lenda, pois narram outros motivos o porquê que Xango e Ogum não se manifestariam no Olubajé.

Como é Feito o Olubajé?

Nesse dia todo o barracão, casa de candomblé, se encontra ornamentada na cor desse orixá, Obaluaê, devo ressaltar que essa é a única cerimônia dentro do candomblé que dispensa o Ipade, chega a hora e o Babalorixá ou a Yalorixá faz soar o adjá, a fila indiana se forma todos descalços, panelas de barro ornamentadas com faixas todas contendo comidas de todos os orixás com exceção do orixá Xango, a frente estará a Yalorixá ou o Babalorixá seguida por uma filha de Oyá carregando uma esteira, uma outra com um pote na cabeça contendo a bebida sagrada das cerimônia chamada de Aluá, mais 1 com um vasilhame de barro cheia de Ewe Lara (folha de mamona) a qual servirá de prato para as comidas, logo em seguida mais 21 pessoas ou 7, esses são os números das comidas oferecidas, estarão com vasilhames de barro na cabeça.É importante ressalatar que todos, como numa cerimônia de um bori, inclusive os assistentes deverão estar descalços. Nesse momento o Zelador(a) do culto entoa para os atabaques a seguinte cantiga:

Omolú Kíí bèrú já__Kòlòbó se a je nbo
Kòlòbó se a je nbo__Kòlòbó se a je nbo__Aráayé.
Omolu não teme a briga.
Em sua pequena cabaça traz axé e feitiço.

Ajuda do blog: Sergiocigano.com.br