“Com constante leitura, observei que esse ritual tem particularidades de casa para casa, passadas em ensinamentos de Zeladores e Zeladoras para seus filhos. Porém esse ritual não perde o propósito, que é mostrar a Paz e o respeito dentro dos terreiros de candomblé.”

É uma festa em homenagem ao orixá Oxalá (Oxalufan e Oxaguian). É um rito de renovação das águas do Axé.

Esse ritual tão complexo quando misterioso, é feito pelas casa de candomblé há muito tempo, uma tradição africana belíssima e tão aguardada pelos filhos de santo.

Festa essa que todo o Axé e filhos, não importando o cango, deve respeitar e participar, é um momento de reflexão e ao mesmo tempo de fé nesse tão amado Orixá, Oxalá.

Essa festa acontece durante 16 dias, esse númro representa o Odú Àlafía que traz consigo os orixás FunFuns.

Esse ritual de reverencia à Oxalá se inicia com louvor à água, Fonte da vida.

(No Famoso Ilè Opó Afonjá essa cerimonia é iniciada com um Brí a todos os filhos do terreiro, mas em muitas casas o Borí tem sido substituido por um Obì, esse ritual se inicia em uma Quinta-Feira no inicio da noite.)

Oxalá representa a pureza, por esse motivo o terreiro deve estar muito bem limpo e com decoração em branco, do mesmo modo os filhos de santo também devem usar branco.

Durante todo o ritual é muito cultivado o Silêncio (Atoto), tudo em respeito à oxalá.

O Branco é tão importante nessa cêrimonia que do lado de fora do terreito é estendo um pano branco grande desde o portão até a entrada do terreiro, esse pano ficará sob a cabeça dos filhos quando eles estiverem fora do terreito, com o objetivo de trazer a proteção de oxalá té mesmo fora do Ilè.

Os filhos de santo acompanhados de suas quartinhas e flores vão na direção de rio (Riacho) Buscar água, na frente vai o Zelador com seu adjá entoando cantigas e Orikis (Rezas) à Oxalá.

Depois de tudo, e chegarem ao terreiro com suas quartinhas cheias de água do rio, a Iyalorixá ou o Bàbálorixá lavará o Orí de cada filho (Por ordem hieráquica) com a água por ele colhetada, em seguida coloca-se um Obì no Orí e cobre com um Ojá (Pano de cabeça).

Todos participam desse ritual, Iniciados, Abians e Visitantes, não há exclusão de ninguém, todos somos filhos de Oxalá.

No outro dia bem cedo, todos diante do Ojubó de Oxalá, Rezarão com seus Oris sobre as mãos e deitados embaixo da cabana montada com o pano branco.

Algumas casa entendem a modernidade e tem dificuldades em fazem esse ritual junto à um rio e caminhando em procissão, por isso algumas casas fazem adaptaçãoes no ritual quando ao critério de coletar a água, porém o ritual segue no memso formato.

as águas de Oxalá se estenderá por três domingos e terá três etapas festivas:

1º Domingo: Festa de Ododuwá

Todos vestidos de Branco, comendo comida sem sal até o fim das celebrações.

O primeiro domingo será em celebração à Ododuwá e aos Orixás FunFun, em celebração aos primeiro orixá Funfun (Ododuwá).

2º Domingo: Celebração à Oxalufan

Antes de começar os trabalhos deste dia, os assentamentos de Oxalá voltarão á casa de santo e as Egbomís soltarão Pombos brancos em sianl de Paz.

Terminado a caminhada em sua casa ou quarto, o Grande Oxalufan descansará e as Iyás arrumarão seu ajubó entoando cantigas em tom baixo em respeito e devoção.

Mais tarde iniciará um Xirê à Oxalufan, com a presença desse orixá de fé. Todas as cantigas lembração a história desse grande Orixá.

3º Domingo: Celebração à Oxaguian (Pilão de Oxalá)

Orisagiyan é o Elemoaxó funfun, cantigas mais aceleradas e a dança do Guerreiro do universo, do Pai Senhor da Guerra à Paz. Aparecem as contas com seguí, símbolo que o dignifica como único Orixá funfun Ajagunan. A raiz de inhame é o elemento que se apresenta da cozinha direto para o barracão, como prato do preceito, em bolas de inhame pilado, alimento de expansão do Axé, o simbolismo da Tradição dos Orixás. . Cantigas lembraram os ritos do atorí e vários atoris são distribuidos pela Iyalorixá ou Babalorixá que dá início tocando em Oxaguian e depois vão tocando uns aos outros na roda de forma hierárquica em que do mais velho Oxalá ao mais novo iniciado da casa participam até que todos tenham sido tocados por Oxaguian. O ciclo e todas as festividades das Águas de Oxalá, de renovação da existência e expansão do Axé será encerrado formando novamente a roda e fazer o encerramento com a cantiga em reverencia Olodumare.

Nota: Em salvador esse ritual é complementado com a lavagem da igreja do senhor do bonfím

Textos de auxílio:

Texto em parte,  por Bàbá Fernando no Blog O CANDOMBLÉ.

Texto em parte feito por Jonathan D’Oxalá.

Texto em parte retirado de Wikipédia e outros Sites referentes a cultura de candomblé.