Nanã

Nanã é a mais velhas das orixás mulheres. É a orixá cercada de mistérios, dona do portal entre a vida e a morte.

Associada as águas paradas e a lama dos pantanos, tanto reverênciada na vida quanto na morte. Foi a única que não reconheceu a Soberania de Ogum para com os metais e a guerra.

Dizem lendas que Nanã era o barro do qual Deus fez o Homem. Em Africa quando pronunciada seu nome se jogam no chão ou tocam no solo em respeito a rainha dos mistérios.

Ela é uma orixá que pode se apresentar perigosa e misteriosa, mas também muito amorosa para com as pessoas. Nanã não gosta da injustiça, dos roubos, da traição e da mentira.

è mãe de Iroko (Tempo), Oxumare e Obaluaye. Além de sua associação á morte, pode-se dizer que também compõe-se a vida, pos Nanã é o nascimento, o meio e o fim.

Nanã, é um Orixá feminino de origem daomeana, que foi incorporado há séculos pela mitologia iorubá, quando o povo nagô conquistou o povo do Daomé (atual Republica do Benin) , assimilando sua cultura e incorporando alguns Orixás dos dominados à sua mitologia já estabelecida.
Resumindo esse processo cultural, Oxalá (mito ioruba ou nagô) continua sendo o pai e quase todos os Orixás. Iemanjá (mito igualmente ioruba) é a mãe de seus filhos (nagô) e Nanã (mito jeje) assume a figura de mãe dos filhos daomeanos, nunca se questionando a paternidade de Oxalá sobre estes também, paternidade essa que não é original da criação das primeiras lendas do Daomé, onde Oxalá obviamente não existia. Os mitos daomeanos eram mais antigos que os nagôs (vinham de uma cultura ancestral que se mostra anterior à descoberta do fogo). Tentou-se, então, acertar essa cronologia com a colocação de Nanã e o nascimento de seus filhos, como fatos anteriores ao encontro de Oxalá e Iemanjá.

Informações:

Nome: Nanã

Comida: efó, mungunzá, sarapatel, feijão com coco e pirão com batata roxa.

Saudação: Salubá

Simbolo: Ibiri (bastão de palmeiras)

Dominios: Vida e a Morte

Cor de Fio de Conta: Roxo

Seus Filhos São: 

Os filhos de Nana são pessoas extremamente calmas, tão lentas no cumprimento das suas tarefas que chegam a irritar. Agem com benevolência, dignidade e gentileza. As pessoas de Nana parecem ter a eternidade à sua frente para acabar os seus afazeres; gostam de crianças e educam-nas com excesso de doçura e mansidão, assim como as avós. São pessoas que no modo de agir e até fisicamente aparentam mais idade. Falam alto pra impor o que pensa.

Podem apresentar precocemente problemas de idade, como tendência a viver no passado, de recordações, apresentar infecções reumáticas e problemas nas articulações em geral.

As pessoas de Nana podem ser teimosas e “ranzinzas”, daquelas que guardam por longo tempo um rancor ou adiam uma decisão. Porém agem com segurança e majestade. As suas reacções bem equilibradas e a pertinência das suas decisões mantêm-nas sempre no caminho da sabedoria e da justiça.

Embora se atribua a Nana um carácter implacável, os seus filhos têm grande capacidade de perdoar, principalmente as pessoas que amam. São pessoas bondosas, decididas, simpáticas, mas principalmente respeitáveis.