Òpárá, também conhecida como Osún Òpárá (Oxum Opará) é a Divindade dos rios e cachoeiras, muito confundida como uma qualidade da Orixá Oxum, mas para o povo Yorubá se trata de uma Divindade própria.

Òpárá é tem seu lado meiga e doce, vezes calma como a água e algumas vezes agressiva, revoltada e combatica como a queda d’água da cachoeira.

Muitos mistérios cercam essa divindade, que tem característica de Oxum e Oyá. Uma divindade tão bela em suas manifestações.

Por detrás dos panos esconde uma fonte de força incomparável a qualquer Orixá, é a mais bela das Oxuns, carrega um espelho e uma espada, dança com doçura e ao mesmo tempo com agilidade e rapidez nos passos.

Não adimite mentiras e não vê defeitos em seus filhos, gosta de tudo muito bem limpo e seus filhos enxergam coisas de longe (São intuitívos), assim como qualer Oxum dá a seus filhos o poder de ler todo e qualquer Oráculo.

Oxum Òpárá, a Oxum que veste Ouro e Rosa.

Lenda de Osún Òpárá:

Em uma época onde os Orixás viviam na terra, na região da Nigéria existiu duas jovens irmãs: Oxum e Iansã.

   Oxum era orixá do ouro e da prata e tinha poderes sobre o ocultismo, Iansã por sua vez era orixá dos raios, tendo assim poderes sobre eles. Oxum carregava consigo o espelho que mostrava toda verdade oculta. Um belo dia Iansã muito curiosa, pegou o espelho e olhou, viu que era mais bonita que Oxum. Toda aldeia ficou sabendo disso e Oxum ficou muito brava.

   Resolveu dar uma lição em sua irmã, colocou em seu quarto outro espelho, esse mostrava o lado ruim das coisas. Iansã percebendo a troca foi novamente olhar, ficou chocada com o que viu, em vez de ver sua imagem viu um monstro horrível. Entrou numa tristeza profunda e acabou morrendo.

   Os Orixás mais velhos descobriram a vingança de Oxum, decidiram castigá-la.

   Oxum carregaria Iansã em seu corpo eternamente, seis meses seria Oxum com todas suas características e os outros seis meses seria Iansã. Oxum Opará tem em uma das mãos o espelho e na outra a espada que representa Iansã, dizem que ela é uma Orixá guerreira e anda ao lado de Ogum, o Orixá do ferro, da guerra e da estrada.

About these ads